Poemas selecionados

cuba 2011 (59)

Adeus

Ar dolente em alva fria.

Os barcos singram as águas num despertar

Em uma manhã de partida.

Uma mulher se foi mesmo antes de Sê-la no calor dos meus braços.

Agora seu vasto universo penetrou pelas portas

Que se fecham para o esquecimento.

Sinto essa manhã mais uma vez

E percebo que mais uma intensa noite não sonhei.

A obstinação da insônia persistiu no abandono e nostalgia.

Uma mulher me disse adeus no mesmo porto

Onde as águas bifurcam nossos destinos.

Apossado de silêncio acenei-lhe adeus…

Adalid

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s